‘No mundo real, não existe nenhuma crise dentro do governo’, afirma Moro

  • Por Jovem Pan
  • 19/02/2019 17h35
Mateus Bonomi/Estadão ConteúdoMinistro apresentou projetos de lei em pacote anticrime

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, entregou nesta terça-feira (19) projetos de leis anticrime pessoalmente no Congresso Nacional. Ao deixar o parlamento, ele afirmou que não há crise no governo, em relação à demissão de Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da Presidência, e defendeu meditas adotadas nos quase dois meses de gestão.

“No mundo real, não existe nenhuma crise dentro do governo. O governo está apresentando projetos. Hoje é um projeto consistente, amanhã [20] vai ser apresentado um projeto da nova Previdência absolutamente consistente”, declarou o ex-juiz federal da Operação Lava Jato. Ele esteve com comitiva de ministros na Câmara dos Deputados.

Bebianno foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro na segunda-feira (18), após fim de semana conturbado com o impasse envolvendo ainda Carlos Bolsonaro. O imbróglio começou com a revelação de que o PSL, partido de Bolsonaro presidido pelo ex-ministro no período eleitoral, repassou recursos públicos a candidatas laranjas.

Áudios divulgados mais cedo pela Jovem Pan comprovam que Bebianno conversou três vezes com Bolsonaro na semana passada, ao contrário do que disse Carlos. Após a revelação dos repasses, Bebianno disse à imprensa que estava “tudo bem” e que havia conversado “três vezes” em um dia com o presidente. Depois, p filho de Bolsonaro publicou áudio em que desmentia a declaração, comprovada agora com a publicação das mensagens.

Pacote anticrime

“É um governo que está buscando mudanças para melhorar a vida das pessoas. Para isso, se faz necessário melhorar a segurança pública, enfrentar o crime organizado, o crime violento e o crime de corrupção”, acrescentou, em relação às propostas apresentadas. Ele se reuniu com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O ministro disse que as medidas previstas no pacote são “simples e de fácil compreensão”, focadas no endurecimento à criminalidade mais grave. Ele citou a necessidade de aprimorar investigações, com escuta ambiental e uso de agente encoberto, além “destravar” e legislação processual. “Não podemos ter aquele processo que nunca termina.”

Para Moro, o governo “está mostrando a que veio”.

Ele defendeu as ações realizadas até agora, citando medidas tomadas pela pasta que comanda. “Na área da segurança pública, que posso falar um pouco mais, houve crise no Ceará, que foi debelada sem que a Força Nacional se envolvesse em qualquer confronto que envolvesse morte de inocentes ou mesmo de criminosos. Essa situação foi resolvida.”

Segundo o ministro, “o governo tem agido para isolar lideranças criminosas, de maneira exitosa, fazendo junto com o governo de São Paulo algo que há 12 anos se planejava, mas não se fazia”. Ao lamentar a tragédia de Brumadinho (MG), o ministro lembrou que o governo federal agiu “com extrema competência” para atender às vítimas.

*Com informações da Agência Brasil