Novo diretor-executivo da PF nomeado por Segovia recebeu doação de Temer em 2014

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2017 12h14 - Atualizado em 22/11/2017 12h48
DivulgaçãoSandro Avelar tentou ser deputado e já secretariou ao lado de Tadeu Filippelli, investigado

Nomeado para a diretoria-executiva da Polícia Federal, Sandro Avelar tentou ser deputado federal pelo PMDB em 2014 e recebeu R$ 11,6 mil do comitê eleitoral de Michel Temer, então candidato a vice-presidente.

Avelar foi indicado para a posição de número dois na PF pelo novo diretor-geral da corporação, Fernando Segóvia.

Veja a informação nos registros do site do TSE:

Doação de comitê de Michel Temer a atual diretor executivo da Polícia Federal

Avelar recebeu ainda R$ 236,5 mil do diretório do PMDB para os custos das eleições, em quatro doações. Segóvia, no entanto, não foi eleito, com  21.888 votos, e se desfiliou da sigla.

No total, a campanha de Avelar arrecadou R$ 460 mil.

Quatro doações do PMDB a Sandro Avelar em 2014, atual diretor da Polícia Federal, em 2014

Michel Temer foi denunciado em 2017 por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de Justiça após delações feitas com o Ministério Público e investigações da Polícia Federal. O atual presidente da República foi acusado de liderar um “quadrilhão” com atuais ministros e parlamentares do PMDB.

O delegado Avelar também foi secretário de Segurança do Distrito Federal no governo de Tadeu Filippelli, alvo de operações da Polícia Federal. Filipelli foi considerado inelegível por uso ilegal da máquina pública para propaganda política.

Segóvia assume como novo diretor da PF e promete prioridade no combate à corrupção