Novo grupo de imigrantes venezuelanos desembarca em Manaus e São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2018 16h05
Antônio Cruz/Agência BrasilAo todo, 233 pessoas estavam a bordo do voo da FAB, sendo que 164 desembarcaram em Manaus e 69 serão levados para São Paulo

Um grupo de imigrantes venezuelanos, que deixou o país de origem por conta da crise econômica e a falta de alimentos, desembarcou em Manaus nesta sexta-feira (4). Ao todo, 233 pessoas estavam a bordo do voo da Força Aérea Brasileira (FAB), sendo que 164 desembarcaram em Manaus e 69 serão levados para São Paulo.

Esse foi o segundo deslocamento de venezuelanos de Roraima para outros estados brasileiros no processo de interiorização dos imigrantes realizado pelo Governo Federal e a Organização das Nações Unidas (ONU).

A iniciativa busca ajudar venezuelanos a procurar novas oportunidades em outras localidades do Brasil. Todos os imigrantes que aceitam participar da interiorização passam por exame de saúde, são imunizados, abrigados na cidade de destino e acompanhados em abrigos.

“Nós temos um pessoal, em torno de 60% a 70%, que querem a interiorização, cerca de 10% a 20% que quer voltar à Venezuela e outros 10% a 20% que querem se manter em Boa Vista trabalhando para poder ficar próximo da fronteira por ainda ter interesses pessoais na Venezuela”, afirmou o general Eduardo Pazuello, coordenador da força-tarefa humanitária do Exército.

Viviane Esse,  sub-chefe de monitoramento da Casa Civil da presidência da República apontou que o balanço é positivo sobre o acolhimento aos venezuelanos. Segundo ela, a Operação Acolhida, da qual o general Pazuelo é o coordenador, tem alcançado os objetivos de retirar os imigrantes das ruas: “Hoje, não há mais crianças e mulheres nas ruas. Nossa intenção é que, até o fim do mês, não tenhamos mais nenhuma pessoa na rua e que consigamos dar um acolhimento digno, estadia e acompanhamento médico para todos”.

Superintendente da Polícia Federal em Roraima, a delegada Rosilene Santiago ressaltou que o órgão está recebendo reforços no efetivo para dar contar da alta demanda de pedidos de refugiados, que chegam a ser de 800 a 1000 a cada dia. De acordo com Rosilene, os pedidos dos venezuelanos são os mais diversos, e vão desde o agendamento de atendimento e confecção de documentos até pedidos de residência no Brasil.

Com informações do repórter Daniel Lian