Oito em dez brasileiros acreditam que Temer participou de corrupção revelada pela JBS

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2017 09h15
BRA03. BRASILIA (BRASIL), 21/06/2017 - El empresario brasileño Joesley Batista, uno de los delatores del caso Lava Jato, sale luego de testificar hoy, miércoles 21 de junio de 2017, ante la Superintendencia de la Policía Federal (PF), en Brasilia (Brasil). Batista puso al presidente brasileño, Michel Temer, contra las cuerdas después de confesar ante las autoridades los entresijos de una red de corrupción en la que supuestamente también está implicado el mandatario. EFE/Joédson Alves EFE/Joédson Alves Joesley Batista após depor à superintendência da Polícia Federal

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (25) revela que 83% da população entende que o envolvimento direto do presidente Michel Temer (PMDB) nos escândalos de corrupção. Para 6% dos entrevistados, o peemedebista não teve participação direta e 11% não souberam dizer.

O levantamento levantou críticas da população aos termos do acordo de delação premiada da JBS. Segundo o instituto, 81% dos brasileiros entendem que os irmãos Joesley e Wesley Batista deveriam estar presos pelos crimes que confessaram. Já 14% dos entrevistados discordam.

Para 64% da população, o Ministério Público Federal agiu mal ao fechar o acordo com os danos da JBS prevendo multa, mas não a prisão dos colaboradores. Por outro lado, 27% dos ouvidos avaliam que o MPF agiu bem ao firmar o acordo por meio do qual crimes graves foram revelados.

A partir das acusações apresentadas pela Procuradoria-Geral, o senador e presidente nacional do PSDB licenciado Aécio Neves (PSDB) foi afastado pela Justiça e o presidente Michel Temer é alvo de inquérito por três supostos crimes: corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa.

O procurador-geral Rodrigo Janot deve denunciar Temer já nesta semana, até terça-feira, de acordo com prazo estabelecido pelo ministro relator do caso Edson Fachin. Para ser aceita a denúncia e o presidente se tornar réu em processo criminal no Supremo Tribunal Federal (STF), dois terços dos deputados da Câmara (342 parlamentares) devem aprovar a acusação a ser apresentada por Janot.

O Datafolha entrevistou 2.771 pessoas entre 21 e 23 de junho. Segundo o instituto, a margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Impopularidade

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (24) mostrou também que a maioria dos brasileiros pede saída do presidente Michel Temer.

A pesquisa perguntou o que seria mais benéfico para o país, considerando a crise política e a recuperação da economia: o peemedebista sair ou ficar. Só 30% se disseram a favor de ele ficar na Presidência; 65% acham que saída é o melhor para o Brasil. Uma eventual renúncia do peemedebista é defendida por 76% e são contrários a essa iniciativa 20% dos entrevistados.

Em um cenário em que Temer não renuncie, a taxa dos que querem outro caminho para a saída é ainda maior: 81% defendem o impeachment de Temer.

O levantamento registrou também pico de impopularidade do presidente: 69% dos entrevistados dizem que a gestão Temer é ruim ou péssima.

O governo é considerado ótimo ou bom por apenas 7% da população, a menor marca registrada pelo Datafolha em 28 anos. Somente José Sarney ficou abaixo desse patamar, com 5% de aprovação em setembro de 1989, em meio à crise da hiperinflação.