Operação na Baixada Fluminense mira braço financeiro de milícia

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2019 11h28 - Atualizado em 23/08/2019 11h29
Tânia Rego/Arquivo/Agência BrasilSegundo a Polícia Civil, as investigações começaram no final de junho, quando milicianos armados com fuzis invadiram diversas comunidades de Nova Iguaçu

Uma operação deflagrada na manhã desta sexta- (23) cumpre 36 mandados de busca e apreensão em imóveis explorados pela milícia na Baixada Fluminense. O objetivo é atacar o braço financeiro de um grupo paramilitar que atua em Nova Iguaçu.

Participam da ação, integrantes da 56ª DP ; do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público; do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB); e da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Segundo a Polícia Civil, as investigações começaram no final de junho, quando milicianos armados com fuzis invadiram diversas comunidades de Nova Iguaçu – Grão Pará, Conjunto da Marinha, Pantanal, Dom Bosco e Marapicu –, além de localidades nas margens da Estrada de Madureira.

De acordo com as informações levantadas na investigação, o grupo paramilitar tem aumentado as áreas de atuação para obter mais lucro. A milícia da região explora o comércio clandestino de gás, o fornecimento clandestino de internet, TV a cabo e transporte irregular, venda de cigarros contrabandeados, venda irregular de imóveis, exploração imobiliária, extorsão de comerciantes, agiotagem e clonagem de cartões, entre outras atividades criminosas.

Os mandados estão sendo cumpridos no Conjunto da Marinha e diligências policiais ocorrem em locais apontados como centrais clandestinas de TV a cabo, internet e depósitos de gás.

*Com informações da Agência Brasil