Operador de esquema de Cabral, Ary Costa Filho é exonerado um ano e nove meses após prisão

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2018 11h06
Divulgação/Polícia Rodoviária Federal Costa Filho continuava recebendo seus salários de fiscal da Secretaria da Fazenda fluminense

Somente após 21 meses o operador do esquema de corrupção liderado pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi exonerado de seu cargo de fiscal na Secretaria de Fazenda do Estado.

Ary Ferreira da Costa Filho, que foi preso em desdobramento da Operação Lava Jato, na Operação Mascate, lavava dinheiro para o esquema de Cabral em concessionárias de carros e movimentou milhões de reais.

Solto desde outubro de 2017 por determinação do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do RJ, Costa Filho continuava recebendo seus salários de fiscal da Secretaria da Fazenda fluminense. O salário era de pouco mais de R$ 10 mil.

O rito foi lento e só agora foram encontrados elementos necessários para a exoneração de Ary Costa Filho. A defesa argumenta que o operador já devolveu os recursos identificados pela Justiça.

*Informações do repórter Rodrigo Viga