Pagamentos à consultoria de Dirceu eram propina, dizem empreiteiras

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2015 12h42

O ex-ministro da Casa CivilO ex-ministro da Casa Civil

Ricardo Pessoa, presidente da UTC Engenharia e que está preso em Curitiba como parte da Operação Lava Jato, disse a investigadores que os valores pagos pelos serviços prestados pela consultoria do ex-ministro José Dirceu eram parte da propina devida pelos contratos com a Petrobras. As declarações foram feitas durante reuniões, não tendo caráter formal.

De acordo com outras empreiteiras, Dirceu oferecia os serviços e as empresas se sentiam coagidas a aceitar por temerem o comprometimento dos acordos firmados com a estatal. João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, autorizava que os valores fossem descontados das comissões que as empresas deviam ao esquema de corrupção, que correspondiam a 2% dos contratos.

Na semana passada, o juiz responsável pela investigação, Sérgio Moro, divulgou um relatório segundo o qual Dirceu teria recebido R$29,2 milhões entre 2006 e 2013. As empresas que fazem parte da Lava Jato correspondem a R$9,5 milhões dessa quantia, sendo que, no período, Renato Duque era considerado afilhado político do ex-ministro e ocupava o cargo de diretor de Serviços da Petrobras.

As informações são do jornal Folha de S.Paulo.