Papai Noel é preso por exibir pornografia para crianças em shopping no interior de SP

Homem que trabalhava como Papai Noel em shopping teria mostrado vídeo pornográfico para meninas de 11 e 12 anos

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2019 17h18
Reprodução/FacebookPapai Noel de shopping foi acusado de mostrar vídeo pornográfico para crianças

Um homem de 67 anos que trabalhava como Papai Noel em um shopping foi preso na tarde de sexta-feira (20), acusado de exibir material pornográfico para duas meninas, em São José dos Campos, interior de São Paulo. O suspeito acabou solto neste sábado (21), durante audiência de custódia, e vai responder pela acusação em liberdade.

Familiares das meninas, de 11 e 12 anos, disseram que, quando elas se acercaram do Papai Noel, ele mostrou a elas um vídeo pornográfico pelo celular. O homem nega o crime, mas foi afastado da função.

Conforme o relato da família à Polícia Civil, as duas crianças estavam no shopping com o pai de uma delas e se afastaram para comprar sorvete, quando viram o Papai Noel. Ao se aproximarem do “bom velhinho”, ele teria mostrado a elas o conteúdo pornográfico no celular.

Ainda segundo o relato dos familiares, o homem se ofereceu para pagar um lanche e pediu o contato de WhatsApp das meninas. Elas se afastaram e relataram o acontecido ao familiar que as acompanhava. Outros parentes também foram acionados.

O Papai Noel foi detido pela Polícia Militar e levado para a delegacia. Ao depor, o homem negou que tenha mostrado o vídeo e disse que foi surpreendido pelas meninas quando apagava material pornográfico enviado para seu celular.

Ele disse que se ofereceu para emprestar o dinheiro do lanche que as meninas pretendiam tomar e pediu o telefone para uma possível devolução do empréstimo, o que não foi aceito por elas. O suspeito, que não teve a identidade divulgada, passou a noite na prisão e só foi liberado após ser apresentado ao juiz, na audiência de custódia.

Ele vai responder por divulgação de imagens de sexo, nudez ou pornografia, crime com pena prevista de um a cinco anos de prisão. O celular do suspeito foi apreendido para perícia. A administração do shopping informou que está dando assistência às famílias e que o Papai Noel, contratado através de empresa terceirizada, foi afastado das funções.

*Com Estadão Conteúdo