Parlamentares enviam carta a Bolsonaro e pedem mais dinheiro a trabalhadores informais

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2020 18h39
Wagner Pires/Futura Press/Estadão ConteúdoJair Bolsonaro é o atual presidente do Brasil

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados Tábata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES) encaminharam uma carta ao presidente Jair Bolsonaro pedindo ampliação das medidas econômicas para combater os impactos do novo coronavírus no País. Os parlamentares querem fazer o governo injetar mais dinheiro durante a crise da covid-19.

O trio de congressistas pediu ao governo para aumentar o “voucher” anunciado pelo governo aos trabalhadores informais. Os parlamentares querem que o benefício seja de R$ 300 mensais e pago por quatro meses. O governo anunciou R$ 200 durante três meses. Além disso, o senadores e os deputados solicitaram a criação de um benefício universal de R$ 500 mensais para famílias de baixa renda.

As medidas custariam R$ 74,7 bilhões ao governo federal, no cálculo dos gabinetes parlamentares. A criação de uma linha de crédito subsidiada a microempresas e microempreendedores individuais, com no mínimo quatro meses para pagamento da primeira parcela, e a redução temporária de requisitos exigidos para autorizar a produção de álcool em gel e outros produtos farmacêuticos também fazem parte da demanda.

“A rede de proteção social existente não será suficiente para o enfrentamento dessa crise. É necessário garantir o mínimo, especialmente para aqueles que mais precisam. Tais medidas, além de fornecerem recursos suficientes para compra de alimentos e outros itens de sobrevivência, serão uma injeção direta no consumo, impactando positivamente o PIB”, diz a carta.

*Com informações do Estadão Conteúdo