Pastor defende que moradores em situação de rua passem fome: ‘Se não trabalha, que não coma’

Marcos Granconato utilizou um verso bíblico para embasar sua opinião; publicação foi realizada em suas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2022 17h57
Reprodução/Facebook Pastor afirmou que moradores em situação de rua não merecem se alimentar Pastor afirmou que moradores em situação de rua não merecem se alimentar

Marcos Granconato, pastor da Igreja Batista Redenção, localizada em São Paulo, utilizou as suas redes sociais para se opor a alimentação de moradores em situação de rua. Em uma publicação realizada no primeiro dia do mês, o religioso alegou que “a maioria dos mendigos têm o dever bíblico de passar fome” e afirmou que, “se alguém não trabalha, que também não coma”. A área de comentários foi limitada na publicação após o pastor passar a ser alvo de críticas na internet.

Após a polêmica, Marcos emitiu uma nota onde afirma que “defende e estimula” um socorro aos mais pobres e necessitados. O rapaz argumenta que, quando caminha pelas ruas das grandes cidades e “quando atendo pedintes na porta da minha casa ou da igreja”, enxerga que a maioria são pessoas jovens, fortes, inteligentes, saudáveis e capazes que, ao que parece, simplesmente optaram pela mendicância por considerar esse modo de vida, livre de trabalhos e responsabilidades”. Por fim, o pastor religioso reconheceu que tem o “dever santo e cristão de ajudar os pobres (e muitos moradores de rua se encaixam no conceito bíblico de “pobre”). Porém, tenho também o dever santo, cristão e bíblico de não incentivar o ócio”.

Pastor afirmou que moradores em situação de rua não merecem se alimentar

Marcos Granconato realizou publicação polêmica em sua página do Facebook