“Perseguição”, “crime” e “escândalo”: parlamentares petistas atacam ordem de Moro em apoio a Lula

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2018 00h00 - Atualizado em 06/04/2018 00h01
EFE/Fernando Bizerra Jr. Simpatizantes de Luiz Inácio Lula da Silva apoiam o ex-presidente em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em São Bernardo do Campo após a decretação da prisão do petista

Na “vigília” montada em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em São Bernardo do Campo, parlamentares petistas prestam apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve mandado de prisão contra si expedido nesta quinta (5). Eles defenderam a “resistência” e classificaram a ordem do juiz Sergio Moro como “escandalosa” e “persecutória”.

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, defendeu “proteger o presidente Lula”. Ela disse que “o que o juiz Sergio Moro fez é inconcebível” e afirmou que o magistrado “persegue o presidente Lula pelo que ele fez pelo Brasil”.

“O que estamos vivendo no Brasil é uma barbaridade. É um absoluto Estado de exceção que estamos vivendo no Brasil”, declarou Gleisi em entrevista à “TVT”.

A petista previu uma repercussão “desastrosa” no exterior e projetou: “vamos voltar a ter prisão política no Brasil” comparando o momento atual ao da Ditadura de 1964. “É muito grave o que está acontecendo aqui. Eles querem prender o principal líder popular da história brasileira”, exaltou a presidente do PT. “É um afã persecutório desse juiz”, classificou

Paulo Pimenta

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS) disse que “Moro está cometendo um crime”.

O deputado conclamou a militância a “resistir contra a barbárie” e disse: “a Lava Jato não pode tudo e nós estamos dispostos a lutar pela democracia, pela justiça, pelo presidente Lula”.

“Diante da ilegalidade o povo tem direito de resistir”, afirmou. Ele também criticou os “22 minutos” que Moro demorou para expedir o mandado de prisão após receber a autorização do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Humberto Costa

O líder da minoria no Senado, Humberto Costa (PT-PE) disse que a decisão de Moro é “escandalosa” e “já estava pronta”.

O senador afirmou que o ato pró-Lula em São Bernardo do Campo “vai se repetir pelo Brasil inteiro”.

Costa classificou a decisão judicial como “farsa, fraude e tentativa de condenar um cidadão honesto na prisão”.

O senador petista comparou Lula aos senadores tucanos José Serra (PSDB-SP), que “tem dinheiro no exterior”, Aécio Neves (PSDB-MG), que “fez ameaças de morte”, e o presidente Michel Temer (MDB), que “recebeu mala de dinheiro”.

“O que está acontecendo no Brasil é uma perseguição política e inaceitável”, classificou. Costa diz acreditar que a candidatura ainda é viável devido às mobilizações em favor do ex-presidente.

O grito de militantes, estimulado, em São Bernardo é “não vai prender”.

A página oficial do PT no Senado transmite o ato no ABC ao vivo:

Uma multidão começa a chegar em São Bernardo (SP) em apoio a Lula. Acompanhe AO VIVO:

Publicado por PT no Senado em Quinta-feira, 5 de abril de 2018