PF diz que Sarney, Jucá e Renan não obstruíram a Lava Jato

  • Por Estadão Conteúdo
  • 21/07/2017 19h48
(E/D) Senadores José Sarney (PMDB-AP), Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, e Romero Jucá (PMDB-RR) durante sessão deliberativa. Na pauta, o Projeto de Lei de Conversão 2/2014, que fixa nova norma de tributação de lucros de empresas controladas no exterior por matriz brasileira Foto: Waldemir Barreto/Agência SenadoSenadores José Sarney (PMDB-AP)

A Polícia Federal concluiu que o ex-presidente José Sarney e os senadores Romero Jucá (RR) e Renan Calheiros (AL), caciques do PMDB, não tentaram barrar a Operação Lava Jato. Em relatório ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre os áudios entregues pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que gravou conversas com Sarney, Jucá e Renan, a PF sustenta que não há como comprovar o cometimento de crimes por parte do ex-presidente e dos senadores.

Nas reuniões com Machado – que fez delação premiada e ficou livre da prisão -, o tema predominante era o avanço da Lava Jato Segundo a PF, “intenção” não é obstrução de Justiça.

No relatório ao Supremo, a PF sugere um estudo mais aprofundado sobre os benefícios concedidos a Machado com a colaboração.