PF faz Operação contra fraude em merendas de São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2019 09h21
WikicommonsAlém das prisões temporárias e mandados de busca e apreensão, a Justiça Federal também determinou o bloqueio de R$ 2 bilhões

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram na manhã desta terça-feira (26) a Operação Cadeia Alimentar II. Ela investiga fraudes no fornecimento da merenda escolar em, pelo menos, 50 municípios paulistas entre 2013 e 2017.

Vinte de sete mandados de prisão temporária de 55 de busca e apreensão são cumpridos nesta manhã. A Justiça Federal também determinou o bloqueio de R$ 2 bilhões – quantia alcançada pelos bens dos envolvidos.

Entre os alvos da Operação estão empresários, ex-prefeitos, servidores e ex-servidores municipais, secretários e ex-secretários de Prefeituras – além de uma vereadora.

As fraudes aconteciam nos seguintes municípios:

Americana, Barretos, Barueri, Cubatão, Franca, Guarujá, Guarulhos, Iperó, Itapetininga, Jandira, Jarinu, Limeira, Marília, Morro Agudo, Paulínia, Peruíbe, Pirassununga, Porangaba, Rio Claro, São Carlos, São Roque, São Vicente e Sorocaba.

Denúncia

A Cadeia Alimentar investiga crimes de prática de organização criminosa, fraude a licitações, falsidade ideológica, corrupção e prevaricação relacionados a um esquema capitaneado por um frigorífico de Brodowski, indica o MPF.

O pagamento de propina girava em torno de 10% do valor dos contratos. Os indivíduos envolvidos simulavam concorrência e favoreciam a empresa com o ajuste médio de preços e a inclusão de exigências técnicas nos editais – o que limitava a participação de outros interessados.

Após os tramites, o frigorífico entregava os produtos com superfaturamento. Em alguns casos, inclusive, eles nem chegavam a ser entregues – mesmo mediante o pagamento.

*Com informações do Estadão Conteúdo