PF: Operação investiga irregularidades na área de trading da Petrobras

  • Por Jovem Pan
  • 18/06/2020 08h55
Tânia Rêgo/Agência BrasilA operação é um desdobramento da Operação Sem Limites, a 57ª fase da Lava Jato, deflagrada em dezembro de 2018

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta quinta-feira (18) 12 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, dentro das investigações da Operação Lava Jato. A 71ª fase, chamada de Operação Sem Limites II, tem como foco a área de trading da Petrobras, relacionada à compra e venda de petróleo, óleos combustíveis e derivados.

As ordens judiciais, expedidas pela 13ª Vara Federal da Justiça Federal em Curitiba, também envolvem dois ofícios para obtenção de dados telemáticos e bloqueio de valores até o limite dos prejuízos identificados até o momento, cerca de R$ 17 milhões.

Os 40 policiais cumprem sete mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, um em Cabo Frio e quatro em Petrópolis. A operação é um desdobramento da Operação Sem Limites, a 57ª fase da Lava Jato, deflagrada em dezembro de 2018.

As investigações apontam que mais pessoas “auxiliavam e integravam a organização criminosa estruturada no sentido de lesar a Petrobras, especialmente em sua área de trading, onde são realizados negócios de compra e venda de petróleo, óleos combustíveis e derivados, entre outros, junto a empresas estrangeiras e que são destinadas às atividades comerciais da estatal”, segundo a Polícia Federal.

Foram identificados doleiros que atuavam até 2018 no mercado paralelo de câmbio. Segundo a PF, eles faziam a remessa de propina paga pelos intermediários no exterior para agentes públicos no Brasil. A investigação identificou titulares de contas no exterior em nome de empresas offshores.

A Polícia Federal suspeita que o esquema tinha o objetivo de manter certos empregados públicos em funções estratégicas da Petrobras, como a Gerência Executiva de Marketing e Comercialização. Os investigados podem responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, organização criminosa, crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

*Com informações da Agência Brasil