PF pede que Temer seja transferido para prisão da Polícia Militar

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2019 20h13
ReproduçãoO motivo seria que lá teria uma sala de Estado Maior, uma das exigências que Temer fez ao ir preso.

A Polícia Federal pediu, nesta sexta-feira (10), que o ex-presidente Michel Temer cumpra prisão preventiva no Comando de Policiamento de Choque da Polícia Militar do Estado de São Paulo, onde teria uma sala de Estado Maior, uma das exigências que ele fez ao ir para o cárcere. O ofício foi encaminhado à juíza federal substituta da 7ª Vara Criminal. No momento, ele está na sede da Polícia Federal, em São Paulo.

“Desta forma, solicitamos autorização de Vossa Excelência para a transferência imediata do preso para a sala de Estado Maior localizada no Comando de Policiamento de Choque, da Polícia Militar do Estado de São Paulo”, afirmou o delegado da PF em São Paulo Luiz Roberto Ungaretti Godoy.

Habitualmente, autoridades com direito à sala de Estado Maior são alojadas no Quartel do 2º Batalhão de Choque da PM, em São Paulo, que sedia o Regimento de Polícia Montada 9 de Julho, no bairro da Luz. Esses espaços são diferentes de celas comuns, pois são separados dos demais presos, com o objetivo de evitar um convívio prejudicial, além de terem à disposição comodidades e instalações dignas, ou seja, com condições adequadas de higiene e segurança.

Em entrevista dada a jornalistas nesta quinta-feira (9), o advogado do ex-presidente disse que ele “mostra uma indignação própria de quem é vítima de uma injustiça”, mas que está tranquilo pois “tem uma característica muito forte que é a serenidade”. “Temer entende que é vítima de uma injustiça, mas confia no poder do judiciário”, afirmou.

Temer e seu amigo João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, são alvos da Operação Descontaminação, desdobramento da Operação Lava Jato no Rio para investigar supostos desvios em contratos de obras na usina Angra 3, operada pela Eletronuclear. Os investigadores apontam desvios de R$ 1,8 bilhão.

* Com informações do Estadão Conteúdo