PF prende 14 em 5 estados por tráfico de animais silvestres

  • Por Jovem Pan
  • 23/05/2019 09h08
Marcelo Camargo/Agência Brasil PF Suspeitos responderão por diversos crimes, como receptação qualificada, caça de animais silvestres, maus-tratos e falsidade ideológica

Uma operação conjunta da Polícia Federal, do Ministério Público, da Polícia Ambiental de São Paulo e do Ibama prendeu, na manhã desta quinta (23), 14 investigados por tráfico de animais silvestres. A “Uratau” ainda cumpre 16 mandados de busca e apreensão contra suspeitos.

A ação desarticulou uma quadrilha que retirava os animais da natureza através de caça ilegal e os mantinha em cativeiro. Segundo a PF, eram comercializadas espécies da fauna silvestre protegidas de extinção, tais como: Macaco-prego, Arajuba, Arara-canindé, Arara-vermelha, Tucano-toco e Papagaio-verdadeiro.

Os traficantes comercializavam os animais com notas fiscais falsificadas e os ofereciam à venda em redes sociais e sites na internet. A Federal investiga os crimes em São Paulo, Goiânia, Mato Grosso, Minas Gerais e no Pará.

“Os animais eram mantidos em cativeiros e transportados em péssimas condições de higiene, configurando maus tratos. Além disso, expunham a perigo a vida ou a saúde de outrem mediante a comercialização de animais silvestres retirados da natureza de forma ilícita, assumindo o risco de promover a transmissão de zoonoses”, informou a PF, em nota.

Os suspeitos responderão por diversos crimes, como receptação qualificada, caça de animais silvestres, maus-tratos e falsidade ideológica.

O nome da operação faz referência às aves exclusivamente noturnas e que utilizam bem a sua plumagem para se camuflar, confundindo-se com o ambiente, de modo a dificultar a sua localização pelos predadores.

Estadão Conteúdo