PF prende braço direito de Marcola na África

Traficante é o criminoso mais procurado do Brasil e estava foragido há 21 anos

  • Por Leonardo Martins
  • 13/04/2020 15h12 - Atualizado em 14/04/2020 08h06
ReproduçãoGilberto Aparecido dos Santos, o Fuminho, está envolvido em um suposto plano de fuga de Marcola em abril de 2019

A Polícia Federal prendeu nesta segunda-feira (13) Gilberto Aparecido dos Santos, o Fuminho, 49 anos, um dos líderes do PCC e o criminoso mais procurado do Brasil. O traficante foi detido em Moçambique, na África, e estava foragido há 21 anos.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, em nota, confirmou a prisão, mas não deu detalhes sobre a operação.

Gilberto Aparecido fugiu do presídio do Carandiru, em São Paulo, em janeiro de 1999. Desde então, era procurado pelas forças policiais brasileiras.

Investigações do Ministério Público paulista apontam que Fuminho era o braço-direito e sócio de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, que é considerado o chefe supremo do PCC.

Segundo a Polícia Federal, Fuminho “era considerado o maior fornecedor de cocaína a uma facção com atuação em todo o Brasil, além de ser responsável pelo envio de toneladas da droga para diversos países do mundo”.

Gilberto Aparecido dos Santos foi denunciado como mandante do assassinato de Rogério Jeremias de Simone, Gegê do Mangue, e Fabiano Souza, o Paca, em fevereiro de 2018. Eles eram acusados de desviar dinheiro da facção.

Fuminho também está envolvido em um suposto plano de fuga de Marcola em abril de 2019. Ele teria chancelado o resgate do chefe do PCC com dois aviões e um helicóptero, que seria clonado da Polícia Militar de São Paulo. Mas agentes da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau interceptaram cartas dos detentos que detalhavam o plano e as autoridades frustraram o plano.

Marcola, então, foi transferido para o presídio federal de Brasília, onde está preso até hoje.