PMs na Alerj que não se apresentarem poderão ser enquadrados no crime de deserção

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2018 11h50 - Atualizado em 17/04/2018 11h51
GERJO aviso da PM, informado por meio de nota divulgada nesta segunda-feira (16), refere-se de forma direta à resolução da Secretaria de Segurança Pública

Os policiais militares do Rio de Janeiro que não se apresentarem à Diretoria Geral de Pessoal da corporação ao longo desta terça-feira (17) poderão ser enquadrados no crime de deserção, previsto no Código Penal Militar. A pena, agravada no caso de oficiais, é de seis meses a dois anos de detenção.

O aviso da PM, informado por meio de nota divulgada nesta segunda-feira (16), refere-se de forma direta à resolução da Secretaria de Segurança Pública em que o titular da pasta, general Richard Cruz, determina o retorno imediato de PMs cedidos a outras instituições como a Assembleia Legislativa do Estado.

Ao todo, são 87 policiais militares lotados na Alerj. Até a noite desta segunda, segundo a PM, 40 militares se reapresentaram.

Confira a nota da Polícia Militar:

“A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro está com seus recursos administrativos prontos para receber os policiais convocados pela resolução da Secretaria de Estado de Segurança nº 1.1170, de 13/04/2018. A Corporação está disponibilizando todos os meios para que medidas disciplinares não sejam necessárias, fazendo uso de comunicação possível para agilizar a apresentação destes agentes. Esclarecemos ainda que os militares que não se apresentarem ao longo do dia 17 de abril à Diretoria Geral de Pessoal poderão incidir na consumação do crime de deserção, previsto no Código de Penal Militar.”

A transferência dos policiais lotados na Alerj vem sendo solicitada pela SSP desde o último dia 04. O ofício pedia a transferência do efetivo em até 72 horas.

Richard Nunes argumentou que há déficit de policiais para reforçar o patrulhamento nas ruas e pediu o retorno destes agentes de segurança que estavam cedidos a outros órgãos.