Polícia Civil do RJ e MPRJ fazem operação contra Escritório do Crime

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2020 06h52 - Atualizado em 30/06/2020 08h25
WikimédiaEntre os homicídios do grupo investigados pela polícia está o atentado contra a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes

Uma operação da Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), iniciada nesta terça-feira (30), cumpre quatro mandados de prisão e 20 de busca e apreensão contra o Escritório do Crime. O grupo de extermínio, formado por policiais, ex-policiais e milicianos, é investigado por uma série de homicídios no estado fluminense.

Segundo informações do G1, a ação desta terça-feira, batizada de Operação Tânatos, tem como alvo chefes da milícia. Um dos presos na operação foi Leonardo Gouveia da Silva, o Mad ou Paraíba, e seu irmão, Leandro Gouveia da Silva, o Tonhão.

Também são alvos Anderson de Souza Oliveira, o Mugão e João Luiz da Silva, o Gago. Todos membros do grupo que, segundo investigações, praticam execuções encomendadas há mais de 10 anos.

Entre os homicídios do grupo investigados pela polícia está o atentado contra a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. Marielle era ativista dos Direitos Humanos e denunciava a truculência policial, bem como a atuação das milícias nas favelas cariocas. No crime, ocorrido em 2018, os atiradores executaram a parlamentar e o motorista após perseguição do veículo.

A ação de policiais civis e MPRJ começou pouco depois das 5h na sede do Ministério, no centro do Rio de Janeiro. A força-tarefa tem a participação da Delegacia de Homicídios da capital.