Polícia confirma segunda morte por síndrome nefroneural em BH

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2020 11h09 - Atualizado em 15/01/2020 11h09
Reprodução / Backer a última terça-feira (14), em entrevista coletiva, a diretora de Marketing da Backer, Paula Lebbos, pediu que as pessoas "não consumam a cerveja"

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou mais uma morte em consequência da síndrome nefroneural na cidade de Belo Horizonte. A vítima é um homem, que não teve a identidade relevada. O corpo ainda deve passar por exames e perícia no IML.

Uma força-tarefa agora tenta descobrir a relação das internações e mortes com o consumo da cerveja Belorizontina, da Cervejaria Becker. Além das duas mortes confirmadas oficialmente, 17 pessoas estariam internadas com os mesmos sintomas.

Na última terça-feira (14), em entrevista coletiva, a diretora de Marketing da Backer, Paula Lebbos, pediu que as pessoas “não consumam a cerveja Belorizontina de qualquer lote”. A empresa pediu mais prazo à Justiça para fazer o recall.

Outros casos

Paschoal Dermatini Filho, de 55 anos, foi a primeira vitima que teve a morte confirmada. Ele morreu no dia 7 de janeiro, após dias internado em Juiz de Fora.

A Polícia ainda investiga um terceiro óbito, que aconteceu no dia 28 de dezembro, e que teria relação com os outros casos.

Uma idosa de 60 anos, com sintomas da síndrome e que ingeriu a Belorizontina, não resistiu após diarreia, vômito e dores abdominais. Ela estava internada em Pompéu, também em Minas Gerais.