Espingarda e desenhos nazistas são encontrados na casa de menino que atirou no PR

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2018 08h32
DivulgaçãoColégio Estadual João Maniel Mondrone, no Paraná

A Polícia encontrou uma espingarda de pressão e recortes de revistas e desenhos com símbolo do nazismo na casa do menino, de 15 anos, que atirou numa escola estadual do Paraná nesta sexta-feira (28). O delegado Denis Merino autou o pai do jovem por posse de arma e omissão de cautela na guarda.

O garoto usou uma garrucha calibre 22 e desferiu pelo menos seis disparos na sala de aula do Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira, no oeste do estado. Ele disse que sofria bullying. O jovem e outro colega foram apreendidos após o ataque.

Dois alunos, um de 5 e outro de 18 anos, ficaram feridos. Segundo a Polícia Militar, um deles está em estado grave, pois pode estar com uma bala alojada na coluna. O outro aluno foi atingido em uma das pernas e não corre risco de morrer. O garoto que atirou disse que sofria bullying.

Na mochila da escola desse outro jovem foram apreendidas bombinhas caseiras e rojões, que estavam amarrados com fita em um litro de álcool.

‘Nunca imaginei’

Os pais do menino que efetuou os disparos disseram saber do bullying e tentavam orientá-lo. “Ele falava que sofria preconceito por ser ‘gordinho’ e do interior, mas eu sempre conversei com ele a respeito”, disse a mãe, que não quis se identificar. “Nunca imaginei que isso poderia acontecer. Ele é um menino tranquilo, nunca teve problema na escola”, afirmou ela.

Ela e o marido estavam trabalhando quando vídeos do atentado começaram a ser divulgados nas redes sociais.

O diretor do colégio, Darlan Chiamulera, informou que a escola deve reabrir apenas na terça-feira. “Temos de usar o fato, por mais trágico que seja, como instrumento para falar do tema, mostrar aos outros a importância de falar, e não de agir com violência”, afirmou. “Não é com arma que se soluciona.”

Com informações da Agência Estado