Polícia fecha rinhas de galo no interior de SP e autua 45 pessoas

  • Por Estadão Conteúdo
  • 23/07/2017 13h20
Uma das rinhas funcionava numa chácara, na Rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), em Presidente Prudente

A Polícia Militar Ambiental fechou duas rinhas de brigas de galo que operavam em cidades do interior de São Paulo, na tarde deste sábado (22). Nos dois locais, 45 pessoas foram autuadas em flagrante por maus tratos aos animais. O valor das multas chega a R$ 345 mil. Os envolvidos vão responder a processo pela prática de crueldade contra animais, considerada crime ambiental por lei federal de 1998. A pena prevista é de três meses a um ano de prisão.

Uma das rinhas funcionava numa chácara, na Rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), em Presidente Prudente. No local, 35 pessoas assistiam à briga das aves e faziam apostas. Os policiais encontraram um galo que havia sido morto durante uma das competições. Mais de trinta aves que estavam no local foram apreendidas. Os donos da chácara foram multados em R$ 105 mil.

Em Ribeirão Preto, a rinha funcionava no Jardim Progresso e dez pessoas acompanhavam os galos colocados para brigar numa espécie de ringue. Seis aves foram apreendidas com ferimentos. Um galo estava morto. As aves feridas passarão por avaliação veterinária Cada um dos envolvidos foi multado em R$ 24 mil, o que totaliza autuação de R$ 240 mil. A Ambiental apreendeu medicamentos usados para deixar os galos mais briguentos e apetrechos para afiar as esporas das aves.