Polícia investiga se atentado no Texas pode ser ‘terrorismo doméstico’

Promotor do distrito de El Paso anunciou ainda que pedirá a “pena capital” para o acusado do massacre

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2019 14h28
EFE

As autoridades federais dos Estados Unidos afirmaram neste domingo (4) que estão tratando a investigação do tiroteio que deixou pelo menos 20 mortos ontem em um shopping de El Paso, no Texas, na fronteira com o México, como um caso de “terrorismo doméstico” e “crime de ódio”.

O promotor do distrito de El Paso, Jaime Esparza, anunciou ainda que pedirá a “pena capital” para o acusado do massacre, que deixou ainda pelo menos 26 feridos.

“Estamos tratando isto como um caso de terrorismo doméstico, e vamos fazer o que fazemos com os terroristas neste país, que é oferecer uma justiça rápida e segura”, declarou John Bash, promotor federal para o distrito oeste do Texas, que falou junto com Esparza em uma entrevista coletiva.

Anteriormente, os investigadores tinham indicado um possível vínculo do suspeito do massacre de El Paso, identificado como Patrick Crusius, com um manifesto publicado na internet que critica “a invasão hispânica do Texas”.

Crusius, de 21 anos, está detido na prisão do condado de El Paso.

O Texas é um dos estados onde a pena de morte é aplicada nos EUA, razão pela qual a sentença poderia ser a execução do acusado.

El Paso é uma cidade americana fronteiriça com o México com cerca de 700.000 habitantes e, segundo dados do censo, mais de 80% da população é de origem latina.

O shopping onde aconteceu o tiroteio está localizado muito perto da fronteira com o México e é muito popular entre os cidadãos mexicanos como local de compra durante os finais de semana.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, confirmou que três cidadãos mexicanos estão entre os mortos e que há pelo menos outros seis entre os feridos.

Com Agência EFE