Polícia prende suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle Franco

  • Por Jovem Pan
  • 18/12/2018 10h43 - Atualizado em 18/12/2018 13h45
ReproduçãoA vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes foram mortos em 14 de março de 2018

A Polícia do Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira (18) o ex-policial militar Renato Nascimento Santos. Segundo o G1, Renatinho Problema, como é conhecido, é suspeito de ser um dos ocupantes do carro onde estava o assassino da vereadora Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes.

Santos tinha dois mandados de prisão expedidos por homicídio e por porte ilegal de armas. Outro ex-PM que acompanhava Renatinho foi preso em flagrante por porte ilegal de arma.

Atualização

Pouco tempo depois da prisão, no entanto, a polícia divulgou comunicado desmentindo o envolvimento de Renato no caso. A nota confirma a prisão do suspeito “por conta de um mandado pendente em investigação de homicídio”, mas ressalta que “não é referente ao inquérito do Caso Marielle e Anderson”. Além disso, segundo correção feita pelo próprio G1, a PM também negou que o suspeito em questão seja ex-policial militar.

Sobre as investigações

Na semana passada, a Polícia cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do vereador Marcello Sicilliano (PHS), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele também é suspeito de estar envolvido na morte de Marielle e Anderson.

As investigações também apontam participação, em menor grau, do ex-PM Orlando Curicica. Ele está preso na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

No dia anterior, policiais já haviam cumprido mandados de prisão e busca e apreensão em quinze endereços em diversas regiões do estado e também na cidade mineira de Juiz de Fora. Houve ainda apurações em Nova Iguaçu e Angra dos Reis, além de cidades da Região Serrana. Os nomes dos alvos ainda não foram divulgados.

Os investigadores já tinham descoberto um plano de um grupo de milicianos para tentar assasinar o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). De acordo com o documento, divulgado com exclusividade pelo jornal O Globo, a execução estava programada para ocorrer no último sábado (15).