Policiais protestam na Câmara após votação da Previdência: ‘O PSL traiu a polícia do Brasil’

  • Por Jovem Pan
  • 04/07/2019 19h52
GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDORepresentantes das categorias acompanharam sessão no Congresso e se manifestaram pelos corredores

Após a derrubada do destaque que tratava das categorias da segurança pública na votação da reforma da Previdência, representantes das polícias federais e guardas municipais que acompanhavam a sessão na comissão especial da Câmara protestaram na noite desta quinta-feira (4). “[Jair] Bolsonaro traidor”, “Joice [Hasselmann] traidora” e “O PSL traiu a polícia do Brasil” eram alguns dos gritos entoados.

Coordenador da União dos Policiais do Brasil e presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), André Luiz Gutierrez não descarta uma possível greve da categoria.

“Foi decidido que, dependendo do resultado aqui, nós deliberaríamos sobre uma paralisação de 48 horas. Será que o brasileiro vai sentir falta da polícia?”, questionou. “Ficamos em um mato sem cachorro, traídos pelo Bolsonaro e visto como privilegiados pela população e sendo usados como joguetes para atingir tanto PSL como Bolsonaro”, completou.

O presidente da Conferência Nacional das Guardas Municipais (ConGM), Oséias Francisco da Silva, também disse que a decepção da categoria é grande. “Bolsonaro, o governo desrespeita as guardas e não nos reconhecem como polícia. A guarda municipal não está no direito da aposentadoria especial que está na PEC. Ou seja, todas as polícias vão poder se aposentar com 55 anos de idade, já a GM vai ter de trabalhar até 65 anos de idade”, afirmou.

*Com Estadão Conteúdo