Pós-graduação em “esquerda” terá aulas de Dilma, Jean Wyllys, Stédile e Boulos

  • Por Marina Ogawa/Jovem Pan
  • 12/07/2017 13h40 - Atualizado em 19/07/2017 11h56
Dilma Rousseff, Jean Wyllys, João pedro Stédile e Guilherme Boulos darão aula em curso de pós-graduação sobre a esquerda no século XX!

Pense em cursos de pós-graduação. O que vem à cabeça? Cursos tradicionais voltados a áreas de Humanas, Exatas e Biológicas e suas especificidades, certo? Mas e se surge um curso ainda mais específico como “A Esquerda do Século XXI”, qual sua opinião?

Pois bem, essa é a proposta de uma pós-graduação denominada “A Esquerda do Século XXI”. Na programação, aulas ministradas por grandes nomes de políticos e militantes da esquerda brasileira como a ex-presidente Dilma Rousseff, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), o dirigente do MST, João Pedro Stédile, o líder do MTST, Guilherme Boulos – além de nomes a confirmar, como os dos deputados federais Jandira Feghali e Chico Alencar, ambos do PSOL-RJ.

O curso foi uma proposta do deputado federal Pedro Uczai (PT-SC) e visa, segundo informações disponibilizadas em seu site*, “proporcionar uma formação política e ideológica, qualificada e aprofundada, para lideranças políticas e sociais de esquerda da região Sul e do Brasil; proporcionar um espaço coletivo de reflexão e articulação de redes de lideranças que compartilham saberes e reflexões possibilitando atuações articuladas; preparar-se para um enfrentamento político e ideológico futuro e permanente no campo de esquerda; realizar a formação de forma institucional na modalidade de pós-graduação, certificada oficialmente por uma instituição de ensino superior”.

A pós-graduação seria lançada oficialmente com uma aula inaugural no dia 14 de julho, às 19h, no Lang Palace Hotel, em Chapecó (SC), e contaria com uma palestra do professor Emir Sader, do Departamento de Sociologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, ex-coordenador do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO), sociólogo, pesquisador, teórico e escritor de várias obras sobre a esquerda no Brasil e América Latina.

Entretanto, pela alta procura para inscrições, houve uma readequação no cronograma de início das aulas. Em nota, o Instituto Dom José afirmou: “as entidades promotoras entenderam ser necessário mais 15 dias para avançar nos critérios de seleção pela grande procura que o curso teve (…) Ante o grande número de procura e de pré-inscritos, o Instituto Dom José, em diálogo com as instituições parceiras decidiu por adiar o início das aulas para o dia 04 de agosto, dado o grande volume de pré-inscrições, decorrente da ampla repercussão da proposta e da necessidade de seleção”.

Em vídeo divulgado nos últimos dias em rede social, o deputado declarou que a pós-graduação funciona como um convite às lideranças de esquerda: “em períodos de crise, nós temos que parar para refletir, sistematizar, elaborar e compreender o momento histórico para nos instrumentalizar, projetar e construir o futuro”.

Confira abaixo o vídeo:

PÓS-GRADUAÇÃO: A ESQUERDA NO SÉCULO XXI Em períodos de crise é necessário refletir, sistematizar e compreender o período histórico para projetar e construir um futuro melhor. A pós-graduação A ESQUERDA NO SÉCULO XXI é um convite para você refletir sobre as experiências históricas e o momento atual da esquerda no Brasil. A ESQUERDA NO SÉCULO XXI conta com um corpo docente preparado e qualificado, entre eles estão: Dilma Rousseff, Olívio Dutra, Jean Wyllys, Márcio Pochmann, João Pedro Stédile, Guilherme Boulos, Ricardo Antunes, Eleonora Menecucci, Emir Sader, Walter Pomar e Margarida Salomão. Inscrições:As pré-inscrições devem ser realizadas pelo e-mail institutodomjose@gmail.com e maiores informações pelo telefone 49.9.9950.1314.

Publicado por Pedro Uczai em Quarta-feira, 5 de julho de 2017

 

O organizador e promotor do curso de pós-graduação é o Instituto Dom José e tem apoio da Universidade Federal da Fronteira Sul e a Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT. Em rede social, o próprio deputado respondeu a um seguidor que o questionou sobre a disponibilidade da pós-graduação “paga” que vai contra os princípios de uma universidade pública.

Confira abaixo a resposta do deputado ao seguidor:

 

Reprodução

Resposta de Pedro Uczai a seguidor sobre o curso de pós-graduação

 

A assessoria de imprensa da UFFS confirmou a existência do curso e que o papel da universidade ainda não está delimitado, mas que, à princípio, entrará apenas com a disponibilização do espaço e acesso à biblioteca. Questionada se uma universidade federal poderia ter qualquer vínculo com um curso de natureza partidária, a assessoria declarou que este é um “curso de pós-graduação de cunho educacional” e, portanto, não há problemas em uma parceria ou até mesmo oferta do curso.

A UFFS, entretanto, ressaltou que não é proponente e nem possui ligação orçamentária com o curso. Confira abaixo a nota na íntegra da Universidade encaminhada à Jovem Pan:

“A UFFS não é proponente do curso, portanto, não responde pela sua gestão acadêmica e orçamentária. Em se tratando de uma iniciativa de cunho educacional, recebe o apoio, nos termos acordados, dessa Universidade. Essa iniciativa de pós-graduação, além de ser um tema importante, especialmente neste momento, para uma reflexão sobre o país, vem da comunidade regional, com a qual possuímos laços.

Bem, o apoio da UFFS ainda não está completamente definido, o contrato está sendo minutado pela Universidade, mas deveremos participar com a disponibilização do acesso ao espaço público da biblioteca e, de acordo com a necessidade do curso, salas de aula para a oferta de alguns componentes curriculares.

Entendemos que a missão de toda Universidade é realizar e apoiar a reflexão e a produção do conhecimento. Por isso, acreditamos no apoio a iniciativas como essa”.

A reportagem da Jovem Pan também entrou em contato com a Perseu Abramo para maiores esclarecimentos sobre o tema, mas ao conversar com a secretaria da fundação, ninguém soube informar sobre a existência do curso, que já tem data marcada para ser iniciado.

O gabinete do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), que aparece na grade de disciplinas como professor de “Cultura, Diversidade e Experiências Socialistas”, também confirmou que ele foi convidado para lecionar no curso de pós-graduação e que ele aceitou. Até o fechamento dessa reportagem ainda não havia um comunicado oficial do deputado, tampouco se ele receberia um salário para atuar como professor.

O que diz o MEC?

Em resposta à Jovem Pan, o Ministério da Educação afirmou que o curso de pós-graduação lato-sensu “A Esquerda do Século XXI” não está submetida a processo de autorização pela pasta. “Eles são criados por ato próprio das instituições de ensino superior credenciadas pelo MEC, por meio de seus Conselhos Superiores e os órgãos competentes no âmbito da instituição”, segundo o Ministério.

O MEC explica ainda que as instituições podem estabelecer parcerias para a oferta de cursos de pós-graduação lato-sensu, o que justifica o aparecimento de três instituições para a oferta do curso. Mas o MEC alerta: “na parceria, devem estar descriminadas as responsabilidades de cada parceiro, sendo que as situações relativas à questão educacional não podem ser delegadas a uma instituição não credenciada. A instituição certificadora é a responsável pela realização do curso”.

Sobre quem financia o curso, o MEC declara que, por se tratar de um curso de pós-graduação lato-sensu, “o financiamento pode ser originado de diversas fontes, como, por exemplo, cobrança de mensalidades dos inscritos, contratação por Instituições Privadas, Empresas Públicas e outras”.

Confira abaixo as disciplinas e os professores do curso de pós-graduação:

 

Reprodução

 

Reprodução

 

*A reportagem entrou em contato com a assessoria do deputado, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem