PPS e PSB confirmam negociações para criação de novo partido

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2014 09h56

O PPS e o PSB, de Marina Silva, confirmaram negociações para a criação de um novo partido já no próximo ano. O objetivo é ganhar peso no Congresso Nacional com uma bancada de 44 deputados; a quarta maior da Câmara, depois de PT, PSDB e PMDB.

Os aliados discutem o surgimento de uma terceira sigla ou se uma das duas seria mantida. Em entrevista a Thiago Uberreich, o presidente do PPS, Roberto Freire, avaliou que o parlamento precisa de uma redução de grupos políticos.

*Ouça os detalhes no áudio

O deputado Roberto Freire ressalta que o novo partido seria uma alternativa à polarização entre PT e PSDB, independentemente de quem ganhar as eleições. O novo presidente do PSB, Carlos Siqueira, defendeu a junção dos partidos.

O presidente do PSB, Carlos Siqueira, acrescentou que as conversas com o PPS serão feitas com calma e em favor da força das legendas. O advogado especialista em direito eleitoral, Alberto Luiz Rollo, explicou que os parlamentares são automaticamente incorporados na fusão partidária.

De acordo com Rollo, caso um parlamentar não concorde com a incorporação, ele terá um prazo para deixar o partido. O processo de fusão de legendas pode ser feito a qualquer momento, mesmo se a nova legislatura em 2015 já tiver começado.