Prédio residencial desaba em Fortaleza

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2019 11h10
Reprodução/TwitterEdifício ficava no cruzamento da Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli

Um prédio residencial desabou por volta das 10h30 desta terça-feira (15) no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, Ceará. Pelo menos nove pessoas ficaram feridas e foram resgatadas com vida. Outras nove permanecem desaparecidas.

Viaturas do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, carros da Defesa Civil e ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se dirigiram à área para atender a ocorrência e isolaram toda a região. O edifício de sete andares ficava no cruzamento da Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a expectativa é que 18 pessoas estivessem no prédio e nas imediações no momento do desabamento. A Secretaria de Saúde acionou o protocolo de ocorrências com múltiplas vítimas e o Instituto Doutor José Frota (IJF) disponibilizou salas de cirurgia e deixou equipes médicas de sobreaviso.

As vítimas resgatadas estão sendo avaliadas e, conforme a criticidade do quadro, são transferidas para as unidades da rede hospitalar. As equipes de resgate trabalham para encontrar as pessoas reportadas pelos familiares como desaparecidas.

Às 11h40, os Bombeiros confirmaram o primeiro óbito. Às 18h, no entanto, a própria corporação desmentiu a informação e divulgou que ainda não havia nenhuma morte confirmada. A razão da divergência não foi esclarecida.

Imagem do condomínio antes do desabamento | Reprodução/Google

Pilares deteriorados

O prédio passava por obras antes da tragédia, e os moradores já haviam demonstrado preocupação com a situação deteriorada dos pilares localizados no térreo. Um deles gravou um vídeo recentemente e enviou o material a um grupo de WhatsApp. As imagens foram divulgadas nesta tarde pela TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo, e compartilhada nas redes sociais.

Ainda não se sabe, porém, o que causou o desabamento. Segundo relatos de moradores das proximidades, havia também um forte cheiro de gás na região no momento do incidente.

“Tipo uma explosão”

Dona de um estabelecimento comercial que funciona a cerca de 100 metros do local onde o prédio desabou, Andrea Barbosa de Sousa contou à Agência Brasil como foi a movimentação após o desabamento.

“Só escutei um barulho muito grande. Foi tipo uma explosão. Eu saí correndo quando vi a nuvem de poeira chegando até aqui, na loja. Saí na calçada e não vi quase nada, só algumas pessoas correndo em meio à nuvem de poeira”, afirmou a comerciante ao retornar para fechar a loja que havia abandonado e deixado aberta. “Os bombeiros estão interditando a rua, pedindo para os vizinhos saírem de casa e atendendo a algumas pessoas.”

Recepcionista de uma pet shop na mesma calçada, Sávio Matheus Ferreira de Castro Pinto também afirmou que a queda do prédio foi precedida por um barulho que aumentou gradativa e rapidamente, até culminar com um som semelhante ao de uma explosão.

“Achamos que era batida de carro. Só que o barulho foi aumentando e aí veio a nuvem de poeira. Fechamos as portas e ficamos dentro da loja, demoramos a entender o que tinha acontecido. Não dava para ver nada, só alguns destroços espalhados pela rua. Quando saímos na calçada já tinha muita gente chorando. Um desespero”, relatou à Agência Brasil.

Moradores da região e pedestres que passavam pelas proximidades compartilharam algumas imagens da tragédia nas redes sociais. Confira:

Mais informações em instantes