Prefeito de Mariana se reúne com Temer para pedir volta da Samarco

  • Por Estadão Conteúdo
  • 01/06/2016 10h28
Resplendor (MG) - Imagem aérea mostra a a lama no Rio Doce, na cidade Resplendor ( Fred Loureiro/ Secom ES)Barragem

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS), vai pedir, nesta quarta-feira (1), ao presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), recursos para compensar a queda na arrecadação do município com a paralisação das atividades da mineradora Samarco. Duarte Júnior vai defender ainda, junto ao presidente, que a Samarco volte a operar no município.

A empresa teve a licença de operação suspensa pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Minas Gerais depois do rompimento, em 5 de novembro do ano passado, da barragem de Fundão, que a companhia mantinha no vale do rio Doce. A lama vazada na queda da estrutura matou 18 pessoas, deixou uma desaparecida e destruiu o distrito de Bento Rodrigues.

O prefeito quer que os recursos, que serão utilizados para manutenção de “serviços básicos”, sejam incluídos dentro do acordo de R$ 20 bilhões fechados pelos governos federal, de Minas Gerais e do Espírito Santo com a empresa e suas duas controladoras, Vale e BHP Billiton, para recuperação do meio ambiente e socioeconômica da população atingida pela tragédia.

Em maio, durante visita a Mariana, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, recusou-se a assinar termo de conformidade proposto pela prefeitura pelo retorno do funcionamento da Samarco.

“Vamos demonstrar também que a volta das atividades da empresa e sua responsabilização pela tragédia são importantes. Não dá para continuar penalizando a população”, afirmou o alcaide. “A mineração é importante para nossa economia.”

A volta depende da análise de documentação e autorização da Secretaria de Meio Ambiente. O encontro de Duarte Júnior com Temer está previsto para as 15 horas, no Palácio do Planalto.