Prefeito de Manaus apresenta queixa-crime contra Bolsonaro no STF

Arthur Virgílio Neto foi xingado pelo presidente durante reunião ministerial de 22 de abril

  • Por Jovem Pan
  • 03/06/2020 17h30
Agência SenadoArthur Virgílio Neto, prefeito de Manaus

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, afirmou nesta quarta-feira (3) que ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um queixa-crime “por injúria e difamação” contra o presidente Jair Bolsonaro. “Acredito que o senhor presidente deve responder legalmente pelos seus atos”, escreveu nas redes sociais.

A representação no STF se refere às falas de Bolsonaro na reunião ministerial do dia 22 de abril. Na ocasião, Virgílio Neto foi xingado de “bosta” pelo presidente, que demonstrava insatisfação com as medidas de combate ao novo coronavírus adotadas em estados e municípios.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, à época da divulgação dos vídeos, o prefeito de Manaus disse que “teve asco” da gravação liberada após decisão do ministro Celso de Mello. “Aquilo é reunião para se fazer no bordel, não no Palácio do Planalto”, disse.

Nesta quarta, Virgílio Neto ainda se referiu à reunião ministerial como “desprezível”.