Prefeitura do Rio restringe funcionamento de bares e proíbe circulação na madrugada

Eduardo Paes antecipou que escolas, que reabriram para aulas presenciais, serão as últimas a serem fechadas

  • Por Jovem Pan
  • 04/03/2021 08h15
Foto: MICHEL FILHO/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDOAlém disso, qualquer atividade comercial e de prestação de serviço nas praias e na orla marítima não estão autorizadas

Apesar da melhora dos indicadores da Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro, a Prefeitura publicou no Diário Oficial do município nesta quinta-feira, 4, novas medidas de restrição. O prefeito Eduardo Paes antecipou a reunião do Comitê Científico para discutir essas novas medidas que devem ser adotadas já a partir das 17h desta sexta-feira, 5, até o dia 11 de março de 2021. Entre as novas restrições, estão: proibição da permanência de indivíduos nas vias, áreas e praças públicas das 23h às 05h; qualquer atividade comercial e de prestação de serviço nas praias e na orla marítima, incluindo-se o comercio ambulante fixo e itinerante e os quiosques.

Eventos, festas e atividades transitórias em áreas públicas e particulares, incluindo-se as rodas de samba, as boates, casas de espetáculo e congêneres, feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes também são atividades proibidas. Além disso, o horário de funcionamento de bares, lanchonetes, restaurantes e congêneres, para o atendimento presencial de qualquer natureza, fica restrito ao período entre 06h e 17h — com a circulação de público limitada a 40% da capacidade instalada. Medida inclui unidades que funcionam no interior de shoppings e centros comerciais. “As demais atividades econômicas com atendimento presencial ficam autorizadas a funcionar no horário compreendido entre 06h e 20h, ficando a circulação de público limitada a 40% da capacidade instalada”, completa a publicação oficial.

De acordo com o prefeito Eduardo Paes, em uma fala na quarta-feira, 3, apesar da melhora dos indicadores no primeiro bimestre desse ano em comparação com 2020, existe uma preocupação no ar com o entorno da cidade e com medidas mais duras que vêm sendo adotadas em municípios e estados vizinhos. “Esses números continuam positivos dentro da realidade que a gente vive, mas eu venho manifestando as minhas dúvidas e agonias normais em relação ao que acontece na nossa volta.” Em principio, a possiblidade de lockdown está totalmente descartada na cidade. Paes já antecipou que escolas, que reabriram na semana passada para aulas presenciais, serão as últimas a serem fechadas — e isso só vai acontecer em uma situação extrema.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga