Presidente da comissão rejeita destaque sobre voto distrital misto

  • Por Estadão Conteúdo
  • 10/08/2017 17h06
Apreciação do relatório sobre a MP 600/12, que dispõe sobre o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO). Relator da comissão, dep. Lucio Vieira Lima (PMDB-BA) Data: 24/04/2013 Foto: Lúcio Bernardo Junior/ Câmara dos Deputados (24/04/2013)Com um quórum baixo no plenário, o que inviabilizaria a votação nominal, Lúcio Vieira Lima promoveu uma votação simbólica e proferiu o resultado em meio a protestos dos partidos de esquerda

Após retomar a sessão, o presidente da comissão especial da reforma política, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), anunciou que manteria a decisão de rejeitar o destaque que excluía do texto o sistema distrital misto.

Partidos como PSOL, PT, PCdoB e PHS pediram que a emenda fosse votada nominalmente pelos deputados.

Com um quórum baixo no plenário, o que inviabilizaria a votação nominal, Lúcio Vieira Lima promoveu uma votação simbólica e proferiu o resultado em meio a protestos dos partidos de esquerda.

O destaque pedia a supressão do sistema distrital misto do texto base – o que manteria, de 2022 em diante, o sistema proporcional em vigor atualmente. Nas eleições de 2018 e 2020, de acordo com o que foi aprovado, o sistema seria o distritão.