Presidente da UNICA sobre doação de 1 mi de litros de álcool 70% ao SUS: ‘Era nosso dever’ 

  • Por Jovem Pan
  • 24/03/2020 12h09 - Atualizado em 24/03/2020 12h18
Saulo Angelo/Futura Press/Estadão ConteúdoÁlcool em gel está sendo muito procurando em meio à pandemia da Covid-19

O presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Evandro Gussi ressaltou a importância do ato da organização, que doou 1 milhão de litros de álcool 70% ao Sistema Único de Saúde (SUS) para auxiliar a população em meio à pandemia do novo coronavírus.

“Dado o que está acontecendo, não só as usinas, mas os colaboradores, todos decidimos que era o nosso dever colaborar com isso. É um insumo que está faltando, vai ser usado tanto para o álcool gel, quanto para limpeza de superfícies. É um desinfetante super poderoso e as unidades de saúde precisam ainda mais de instrumentos de limpeza como esse”, afirmou, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã 2ª edição.

Evandro relatou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) já autorizou a doação e contou que alguns estados estão prestes a receber o produto.

“Primeiro, que quando pedimos para a Anvisa, ela foi super rápida para dar a resposta. Estamos doando 100% para o sistema público de saúde. Conseguimos, inclusive, uma parceria com a Associação Brasileira de Produtos Perigosos, que conseguiram caminhões saindo das usinas para os estados. Hoje, saiu a primeira carga pra o Espirito  Santo, uma carga de 35 mil litros. A gente já tem cargas para o RS, SC, PR, RJ e SP. Tem contribuído muito a Marinha e o Exército nos seus laboratórios, que vão transformar parte desse álcool em álcool gel”, disse.

Evandro também explicou que as indústrias de Cana-de-Açúcar seguem em atividade durante o avanço da Covid-19 porque fornecem serviços fundamentais.

“O setor precisa continuar trabalhando porque ele fornece quatro insumos essenciais. A gente precisa continuar enviando açúcar para vários lugares do mundo porque as pessoas precisam de um carboidrato barato, seguro. Precisamos continuar produzindo etanol, que é combustível, que permite a mobilidade de pessoas e de serviços públicos. E as nossas usinas também produzem 10% da eletricidade no Brasil, bastante necessária no momento. E também produzimos insumos hospitalares para a saúde”, comentou.

O presidente da organização, entretanto, fez questão de comentar que as indústrias estão seguindo protocolos para evitar a propagação do vírus.

“É claro que também temos como primeira ação a proteção dos nosso colaboradores. Todos que não precisam estar na usina foram para casa. Mudamos a disponibilidade dos refeitórios. No caso das lavouras, as pessoas trabalham distantes porque tudo é mecanizado. Também contratamos infectologistas para esta operação. E, assim, podemos contribuir para que a população brasileira possa ficar em casa”, detalhou.