‘Preso de ótimo comportamento’, diz exame criminológico de Alexandre Nardoni

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2018 09h20 - Atualizado em 05/11/2018 09h29
Estadão ConteúdoAlexandre Nardoni foi condenado a 30 anos de prisão pelo assassinato da filha, Isabella Nardoni. O crime ocorreu em março de 2008

O exame criminológico de Alexandre Nardoni, condenado a 30 anos de prisão por ter matado a própria filha, Isabella Nardoni, afirma que ele tem “ótimo comportamento”. O teste foi realizado a pedido da defesa de Nardoni, que em setembro pediu à Justiça de São Paulo que ele ganhe o direito de cumprir sua pena em regime semiaberto. Desde 2008, ele está detido no presídio de Tremembé, no interior de São Paulo.

Segundo reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, exibida neste domingo (4), consta no laudo que Nardoni “sente a perda da filha e não consegue entender os porquês da tragédia que assolou a família”. O documento afirma ainda que “com a morte dela [Isabella], parte de si morreu junto e que nunca mais se sentirá completo”.

Seis peritos assinam o laudo para a concessão do benefício. Agora, uma juíza vai analisar se Nardoni pode ter a progressão da pena com base nesse exame ou se ele precisa realizar o Teste de Rorschach — uma técnica de avaliação psicológica realizada com manchas que, segundo especialistas, revela traços de personalidade.

O teste foi solicitado pelo Ministério Público, que, por sua vez, deu parecer contrário ao benefício. Segundo o promotor que acompanha o caso, Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos, “é necessário um exame mais aprofundado”. “No exame criminológico, ele [Alexandre Nardoni] consegue esconder ou tentar passar a imagem de uma pessoa recuperada ou apta a ingressar no regime intermediário”, disse, em entrevista ao Fantástico. Mattos classifica o crime cometido por Nardoni como “bárbaro e com resquícios de crueldade”.

Atualmente, Nardoni trabalha no conserto de carteiras das escolas estaduais de São Paulo. Segundo seus advogados, ele já cumpriu 2/5 da pena, trabalhou 634 dias dentro da penitenciária e não se envolveu com facções criminosas.

A esposa de Nardoni, Anna Carolina Jatobá, condenada a 26 anos e 8 meses de prisão pela morte de Isabella, já cumpre pena no regime semiaberto desde o ano passado.

O crime

Isabella Nardoni, então com 5 anos, foi jogada do sexto andar do Edifício London, na Zona Oeste de São Paulo, em 29 de março de 2008. Segundo as investigações, ela foi agredida pela madrasta, Anna Carolina Jatobá, e depois jogada do prédio pelo pai, Alexandre Nardoni.

O casal, no entanto, nega as acusações. Segundo eles, uma terceira pessoa teria entrado no apartamento enquanto eles não estavam e matado a menina.