Após prisão de brigadistas, governador do Pará manda trocar chefe de investigação do caso

O governador Helder Barbalho (MDB) afirmou que o caso requer ‘atenção e toda a transparência necessária’. Após a determinação, o diretor da delegacia especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire, assume as investigações

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2019 16h22
Helder Barbalho (MDB), governador do Pará

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), determinou a troca do delegado que chefiava as investigações que levaram quatro brigadistas que atuavam em Alter do Chão, em Santarém, à prisão.

O inquérito têm sido alvo de questionamentos por parte do Ministério Público Federal (MPF), que também investigava o caso, em nível federal, mas não trabalhava com suspeitos até o momento.

Os quatro brigadistas estão presos desde terça-feira (26). Eles, de acordo com as investigações da Polícia Civil, são suspeitos de serem responsáveis pelas queimadas que destruíram parte da mata da Área de Proteção Ambiental (APA), no município de Santarém, oeste do Estado.

Nesta quinta (28), no entanto, Barbalho determinou a troca do comando das investigações, que agora ficará com o diretor da delegacia especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire. Anteriormente, o delegado José Humberto Melo Júnior era o responsável pelo inquérito.

O governador do Estado destacou ainda que a substituição visa que o caso seja “esclarecido da forma mais rápida e transparente possível” e manisfestou sua preocupação com as investigações.

“A partir de agora estará presidindo as investigações é o delegado Waldir Freire, que é diretor da polícia especializada em meio ambiente”, afirmou Barbalho.

“O caso requer atenção e toda a transparência necessária. Ninguém está acima da lei, mas ninguém pode ser vítima de prejulgamento ou ter o seu direito a defesa cerceado”, disse o governador em vídeo publicado nesta quinta no Twitter.