Prisão temporária de hackers será prorrogada, dizem advogados

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2019 19h52
Reprodução/YoutubeO advogado do DJ Gustavo Henrique Elias Santos disse que vai entrar com pedido de revogação da prisão

Os advogados dos quatro suspeitos de terem invadido celulares de pelo menos mil pessoas, entre as quais o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sergio Moro, foram avisados pela Polícia Federal que, entre esta sexta-feira (26) e sábado (27), será expedido a prorrogação da prisão temporária de todos eles.

A avaliação da PF, após ouvi-los, é de que se trata de um grupo “extremamente preparado e perigoso e que ainda não se esgotaram todas as suspeitas que ainda precisam ser sanadas pela PF”. O inquérito é mantido em sigilo e está sendo conduzido pelo delegado Luiz Flávio Zampronha, que, em 2005 e 2006, presidiu o inquérito do mensalão.

Na tarde desta sexta-feira, o advogado Ariovaldo Moreira, que defende o DJ Gustavo Henrique Elias Santos e sua mulher, Suelen Priscila Oliveira, admitiu que não conseguirá soltar seus clientes e que vai entrar com pedido de revogação da prisão.

“Estou convicto da inocência dos meus clientes e que eles não se envolveram nessa empreitada criminosa”, afirmou. Foram presos também Walter Delgatti Neto e Danilo Marques.

Em depoimento divulgado nesta tarde, Delgatti detalhou às autoridades o caminho que fez até supostamente chegar a arquivos de Deltan Dallagnol — passando por invasões a celulares de promotores de Justiça, do deputado Kim Kataguiri, do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes e do ex-Procurador Geral da República Rodrigo Janot.

Ele afirmou que conseguiu o número do jornalista Glenn Greenwald, dono do “The Intercept”, em conversa com Manuela D’Ávila (PCdoB), cujo contato encontrou, por sua vez, ao hackear a ex-presidente Dilma Rousseff.

* Com informações do Estadão Conteúdo