Procurador requisita continuidade da prisão de executivo da Odebrecht

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2015 16h18
A general view of the headquarters of Odebrecht, a large private Brazilian construction firm, in Sao Paulo in this November 14, 2014 file photo. Brazilian police on June 19, 2015, arrested Marcelo Odebrecht, the head of Latin America's largest engineering and construction company Odebrecht SA, local media said, pulling the most high-profile executive into the corruption investigation at state-run oil firm Petrobras. Federal officers had orders to arrest a total of 12 people in four states and bring them to the southern city of Curitiba where the investigation is based, according to a federal police statement that did not give the names of the detained. REUTERS/Paulo Whitaker/FilesOdebrecht

Procurador Regional da República requisitou a continuidade da prisão do executivo Rogério Araujo. O gestor foi afastado da Odebrecht depois de ser preso em uma das fases da Operação Lava Jato.

O réu é acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro e está detido desde a metade do mês passado. O magistrado Luiz Felipe Hofmann Sanzi alegou que o depoimento de delatores aliado a documentos obtidos comprovam depósitos em contas no exterior.

Os valores seriam propinas destinadas a agentes públicos ligados à Odebrecht por vantagens em obras da Petrobras. No texto, o procurador também destacou estarmos diante de uma organização criminosa que por longos anos praticou delitos de extrema gravidade.