Procuradores do Ministério Público Federal pedem que novo PGR saia de lista tríplice

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2019 14h42 - Atualizado em 24/06/2019 14h47
José Cruz/Agência Brasil "A lista tríplice qualifica a escolha do presidente da República", disseram os membros das operações Lava Jato, Greenfield e Zelotes

Integrantes das forças-tarefa de combate à corrupção do Ministério Público lançaram nesta segunda-feira (24) um manifesto para que Jair Bolsonaro escolha um dos três indicados pelo órgão para o cargo de Procurador-Geral da República. A nota é assinada por membros das operações Lava Jato, Greenfield e Zelotes.

Os procuradores indicaram três nomes para a escolha do presidente: o subprocurador-geral da República Mário Bonsaglia, a subprocuradora-geral Luiza Frischeisen e o procurador regional da República Blal Dalloul.

“A lista tríplice qualifica a escolha do presidente da República, apresentando-lhe como opções integrantes da instituição com sólida história institucional e qualidades técnicas pretéritas provadas e aprovadas por procuradores e procuradoras que conhecem e acompanham há muito tempo sua atuação pública, inclusive recente”, diz o texto.

Na semana passada, quando questionado se a atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge, poderia ser reconduzida ao cargo, Bolsonaro afirmou que “tudo é possível”.

Os três nomes que compõem a lista tríplice foram escolhidos pelos membros do MPF em uma eleição que contou com 82,5% da categoria. O chefe do Executivo não tem a obrigação de escolher um dos três nomes mais votados pela associação de procuradores, mas isso vem ocorrendo tradicionalmente desde 2003.

“Só a lista tríplice garante a legitimidade interna essencial para que o procurador-geral possa liderar, com plena capacidade, os procuradores na direção do cumprimento dos fins da Instituição, inclusive em sua atividade anticorrupção” defendem os procuradores.