Procuradoria pede US$ 80 milhões de devolução em denúncia contra Cunha

  • Por Jovem Pan
  • 20/08/2015 18h28
Presidente da Câmara dos Deputados

O procurador-geral da República Rodrigo Janot protocolou na tarde desta quinta no Supremo Tribunal Federal a denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, pelos supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro apontados durante a Operação Lava Jato.

Além da condenação criminal, o procurador-geral pede a “restituição do produto e proveito dos crimes” no valor de US$ 40 milhões e a reparação dos danos causados à Petrobras e à Administração Pública, também no valor de US$ 40 milhões, de acordo com o Jornal O Estado de S. Paulo.

A Procuradoria também protocolou nesta tarde no STF a denúncia contra o senador e ex-presidente da República Fernando Collor. A prefeita de Rio Bonito (RJ) e ex-deputada Solange Almeida, também foi denunciada, pois seria a intermediária da propina a Cunha.

Segundo a denúncia, Cunha recebeu propina após o fechamento de contratos entre a Petrobras e a Samsung Heavy Industries, da Coreia, para fornecimento de navios-sondas para a estatal do petróleo. A partir de agora, o ministro relator dos casos relacionados à Lava Jato no STF, Teori Zavascki, deve submeter a denúncia aos colegas ministros do Supremo que decidirão, em sessão plenária, se a acolhem ou a rejeitam.

A apresentação da denúncia não significa culpa formada, mas sim que a PGR considerou ter encontrado, na investigação conduzida com o apoio da Polícia Federal, indícios que considera suficientes para processar e julgar o deputado federal por determinados crimes.

No caso de Collor, as investigações indicam que o parlamentar recebeu R$ 26 milhões em propina, entre os anos de 2010 e 2014, através de um esquema de lavagem de dinheiro.