Projeto de poder e corrupção são um só, diz especialista

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2015 16h35
Wilson Dias/Agência BrasilDeputado Marcelo Castro (PMDB-PI)

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o especialista em direito societário Modesto Carvalhosa, analisou a atual crise política brasileira e afirmou que “projeto de poder e corrupção são uma coisa só na atual circunstância”. Segundo ele, os políticos entram na vida pública para exercer a corrupção e que ao se limar essa prática ilícita se acaba também com o atual governo.

De acordo com o advogado, essa situação é causada quando o poder permanece nas mãos das mesmas pessoas. “Mandatos muito longos favorecem a decadência do exercício da função pública”, analisou. Foi com base nisso que também criticou a alteração do texto da reforma política, feita pelo relator e deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), que propõe o aumento do mandato de senadores de 8 para 10 anos: “o único mérito da democracia é a renovação de poder, não pode nunca alguém ficar tanto tempo no poder, vai ficar absolutamente voltado para seus interesses pessoais”.

Carvalhosa citou como exemplo o escândalo de desvio de recursos da Petrobras. Ele disse que a única maneira de evitar esses grandes esquemas de corrupção envolvendo governo e empresas é adotar o modelo americano, que estabelece que uma seguradora garanta a entrega das obras dentro do prazo e do preço previsto. “O que precisa é uma série de medidas para criar uma interlocução, nós não podemos continuar tendo essa promiscuidade com as empreiteiras, que é uma corrupção total”, criticou.

O advogado também usou como exemplo positivo a investigação do Mensalão, quer completa 10 anos nesta quinta-feira (14). “O mensalão foi uma inauguração histórica de uma repressão à corrupção no Brasil” e completou afirmando que dessa forma o Brasil caminha para retirar seu nome da lista da corrupção, já que ocupa atualmente a 42ª posição na lista dos 50 países mais corruptos no mundo.