PSDB protocola pedido de investigação sobre propina no Governo Lula para MP 471

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2015 07h17
SÃO PAULO,SP,22.06.2015:INSITUTO-LULA-CONFERÊNCIA - O Instituto Lula realiza nesta segunda-feira (22), a conferência ?Novos desafios da democracia?, seguido de debate com o ex-presidente do Governo da Espanha, Felipe González. O evento, realizado em parceria com as Fundações Friedrich Ebert e Perseu Abramo, conta com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress)Ex-presidente Lula durante o seminário "Novos Desafios da Democracia"

 O PSDB protocolou o pedido para a Procuradoria Geral da República investigar o pagamento de propina em troca de desoneração fiscal. O caso envolve ex-ministros, o ex-presidente Lula e o filho dele, Luís Cláudio, no recebimento de 36 milhões de reais do setor automobilístico. O dinheiro teria sido repassado a quem ajudou na elaboração da Medida Provisória que cortou os impostos da indústria automotiva.

Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente, confirmou o recebimento de 2 milhões e 400 mil reais de uma consultoria sob suspeita.

O escritório “Marcondes e Mautoni” mudou a própria versão dos fatos e admitiu pagamentos à LFT Marketing Esportivo, do filho do Lula.

Em outra frente, o senador tucano Aloysio Nunes Ferreira quer a CPI do CARF (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) investigando o pagamento de 36 milhões de reais do setor a lobistas.

O mais novo escândalo de corrupção caiu como uma bomba entre os senadores que apuram corrupção com impostos federais.

O senador da Rede Sustentabilidade, Randolfe Rodrigues, concorda com Aloysio Nunes e classifica a denúncia como gravíssima: “Eu concordo em relação ao Congresso Nacional que está em cheque com o que foi colocado. A acusação de que houve uma compra de Medida Provisória para beneficiar montadoras automobilísticas”.

Deputado do PPS quer que a CPI chame todos os suspeitos de participação no lobby das montadoras. Rubens Bueno salienta que a denúncia atinge pessoas como o ex-presidente Lula e a sucessora, Dilma Rousseff: “Com o envolvimento de Gilberto Carvalho, Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o filho do Lula, estamos convocando para que eles prestem esclarecimento de mais essa grave denúncia, mais uma transação de corrupção que o governo Lula e o PT estão legando ao país”.

Já o líder do Governo no Senado afirma que são muitos os atores na produção de uma Medida Provisória. Por essa razão, Delcídio do Amaral considera pouco provável a ação de um lobby do setor automotivo: “As medidas provisórias passam por uma série de filtros. Essa passou pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, passou pela Casa Civil, por vários ministérios, por consultoria jurídica, crivo da Câmara, do Senado. Acho pouco provável”.

A MP 471 de 2009 beneficiou o setor automotivo com incentivos fiscais de 1 bilhão e 300 milhões de reais por ano. Uma das montadoras envolvidas, a CAOA, foi alvo da Polícia Federal nesta quinta-feira na operação que investiga o governador mineiro Fernando Pimentel.