PSDB aposta na volta da polarização com PT e minimiza força do PSL nas eleições municipais

Para o presidente do PSDB-SP, partido de Jair Bolsonaro não deve ser “ameaça” na cidade em 2020

  • Por Victoria Abel
  • 14/08/2019 18h05
Renato Cerqueira/Estadão ConteúdoO presidente do PSDB de São Paulo, Marco Vinholi

O diretório paulista do PSDB aposta na volta da polarização com o PT na próxima corrida eleitoral para a prefeitura de São Paulo, em 2020. Mesmo que o último cenário tenha apresentado um remanejamento de protagonistas, com a ascensão do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, tucanos apostam que a conjuntura vista em 2016 deve se repetir.

“Respeitamos o quadro do PSL, mas entendemos que para as próximas eleições aqui na capital vamos polarizar com o PT. Na última eleição o (Fernando) Haddad ficou em segundo lugar. Depois, ele foi candidato a presidente e aqui na capital ganhou do Bolsonaro. Com isso, não temos dúvida que o PT será o grande polarizador contra nós”, afirmou o presidente do PSDB de São Paulo, Marco Vinholi.

O PT ainda não tem um candidato definido para a disputa à prefeitura, mas nomes como o do o ex-ministro da Justiça José Eduardo Martins Cardozo já circulam nas reuniões do partido. Já o PSL avalia nomes como o da deputada federal Joice Hasselmann. O partido em São Paulo é presidido pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro.

O presidente do PSDB paulista também disse não acreditar na consolidação da candidatura de Márcio França (PSB). O nome do ex-governador de São Paulo já foi confirmado pelo PSB como pré-candidato à prefeitura. “Acredito que o Márcio França não será candidato a prefeito. Ele não tem qualquer vínculo com a cidade de São Paulo. Não faria sentido uma candidatura aqui na capital”, disse o presidente do PSDB-SP.

O partido também minimiza a candidatura de Andrea Matarazzo (PSD) e já espera o apoio do ex-tucano em um cenário de segundo turno. “Andrea é um quadro que a tempos quer ser candidato a prefeito. Todo respeito a isso. Se tiver segundo turno e nós passarmos, esperamos o apoio dele”, afirmou Vinholi.

Para o presidente do PSDB-SP, a principal estratégia do atual prefeito Bruno Covas para a corrida eleitoral já está sendo construída ao longo de sua gestão. “O quadro é bastante otimista para nós, o prefeito Bruno Covas vem construindo uma boa aprovação na prefeitura. A estratégia principal agora é gestão, é ‘prefeitar’. O Bruno está bastante focado nisso.”

Predominância tucana no interior

Para o interior, o partido aposta na predominância tucana, sem uma competição significativa com os petistas. “O PT não tem mais uma grande presença no interior paulista. O PSDB nunca esteve tão forte. Já são mais de 200 prefeitos no estado. Temos uma grande capilaridade, temos um governo de estado muito bem avaliado. O PSDB chega muito forte nas eleições”, afirmou Vinholi.