PSOL prepara representação na PGR contra Maranhão

  • Por Estadão Conteúdo
  • 02/06/2016 16h12
Plenário do Senado durante sessão solene do Congresso Nacional destinada à promulgação da Emenda Constitucional 85/2015, que altera e adiciona dispositivos na Constituição Federal para atualizar o tratamento das atividades de ciência, tecnologia e inovação. Em pronunciamento, deputado Waldir Maranhão (PP-MA). Foto: Geraldo Magela/Agência SenadoWaldir Maranhão - Agência Senado

O PSOL da Câmara dos Deputados vai ingressar com uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA). Assinada pelo deputado Chico Alencar (RJ), a petição solicita que a PGR apure a denúncia de que Maranhão declarou à Justiça Eleitoral a venda de um imóvel, em São Luís, para pagar a campanha de 2010, mas a transação nunca teria sido efetivada, uma vez que o deputado ainda mora na casa.

A revelação de que Maranhão teria fraudado contas eleitorais foi feita pelo jornal O Globo. Segundo o jornal, Maranhão utilizou R$ 821,7 mil na campanha para se reeleger deputado, sendo que R$ 557,6 mil foram de seu próprio bolso. Chamou a atenção do Ministério Público Eleitoral o fato do deputado ter declarado possuir patrimônio de R$ 16,5 mil.

Alencar também prepara uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O deputado perguntará se o fato da denúncia se referir à campanha de mandato anterior gera automaticamente o arquivamento de ação para investigação eleitoral de contas desaprovadas e se as provas colhidas no âmbito destas investigações, mesmo que haja arquivamento do caso, podem ser enviadas ao Ministério Público.