PT diz que não aceitará mais dinheiro de empresas em campanhas

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2015 22h10

Dilma Rousseff Vanessa Carvalho/Brazil Dilma Rousseff e Rui Falcão

O Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou na noite desta sexta que abre mão do financiamento empresarial em suas campanhas. A proposta passará ainda, no entanto, por um referendo programado para congresso nacional do partido em junho. A decisão de recusar apoio de companhias já é medida de outros partidos de esquerda, como o PSOL.

A sigla é uma das defensoras do fim do financiamento privado, um dos pontos da reforma política que se discute no Congresso e assunto de ação da OAB no Supremo Tribunal Federal, paralisada por pedido de vista de Gilmar Mendes.

O ex-tesoureiro do partido foi preso nesta semana pela Operação Lava Jato acusado de receber dinheiro de propina da Petrobras.

A campanha da presidente Dilma do ano passado arrecadou R$ 318 milhões.

Segundo o partido, “o objetivo é criar uma ferramenta eletrônica onde o cidadão possa colaborar financeiramente com o PT”, em valores de R$ 15,00 a R$ 1.000,00.

De acordo com o presidente do PT, Rui Falcao, os diretórios nacional, estaduais e municipais não receberão mais as doações. “A decisão é um gesto do partido para lutar pela mudança na lei de doações”, disse Falcão.

O partido informa ainda que membros da Executiva do PT aprovam o novo modelo proposto.