PTB fala em ‘traição’ e deve compor chapa com Russomanno

  • Por Estadão Conteúdo
  • 26/07/2016 08h43
Divulgação/AlespO deputado Campos Machado é o líder do PTB na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp)

Com o avanço das negociações entre Marta Suplicy e Andrea Matarazzo para a disputa da Prefeitura de São Paulo, o PTB resolveu “reatar antigas pontes”, nas palavras do presidente estadual do partido, o deputado Campos Machado. Na última segunda-feira, 25, ele dedicou o dia para fazer reuniões com líderes partidários, a mais importante delas com Celso Russomanno, pré-candidato do PRB. 

Na conversa, ficou acertado que sua esposa, Marlene Machado, deverá compor a chapa de Russomanno como candidata à vice. “Estamos reatando um namoro antigo”, afirmou.

Machado disse que só vai anunciar o posicionamento do PTB para as eleições deste ano em São Paulo depois que o PMDB lhe comunicar oficialmente se Marlene será ou não a vice de Marta – cargo que o partido não abre mão, segundo ele. 

O deputado já fala a palavra “traição”. Segundo ele, um acordo já havia sido fechado entre os dois partidos, que previa uma chapa 100% feminina com Marlene como vice de Marta. A reunião teria ocorrido no dia 8 de julho, em que estavam presentes a própria Marta e os presidentes estadual e municipal do PMDB, Baleia Rossi e José Yunes, que confirmou o encontro. “Cumpri minha parte porque, para mim, palavra dada é como flecha lançada Não tem como voltar atrás. Mas romperam comigo”, disse Machado.