‘Qual é o problema em alguém movimentar uma conta?’, questiona advogado de João de Deus

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2018 18h40
Cesar Itiberê/Fotos Públicas"Isso é um pré-julgamento que o Ministério Público está fazendo", criticou Ronivan

O advogado Ronivan Peixoto de Morais, representante de João de Deus ao lado de Alberto Zacharias Toron, conversou rapidamente com a imprensa na porta da delegacia de Goiás em que o médium foi encaminhado no fim da tarde deste domingo (16). Ele disse que seu cliente relata que as denúncias de abuso sexual são “inverídicas” e minimizou as suspeitas de que ele teria movimentado R$ 35 milhões de contas bancárias logo após as denúncias.

“Ué. Qual é o problema de alguém movimentar sua conta? Existe bloqueio de bens dele, por acaso? Isso é um pré-julgamento que o Ministério Público está fazendo certamente para tentar justificar um bloqueio”, criticou. “Ele jamais [fugiria]. É um senhor cardíaco de 76 anos que já enfrentou um câncer. A situação financeira dele permitia? Se ele quisesse [fugir], teria feito”, completou.

O advogado comentou ainda a escolha de uma estrada para efetuar as negociações da defesa com a Polícia Civil e negou – mais uma vez – que o médium tivesse a intenção de fugir. “Ele apenas estava no município e aquele local foi escolhido para preservar a segurança dele, nossa e dos policiais pelo trânsito, rodovia, enfim. Apenas para preservação da integridade das pessoas envolvidas”, afirmou.

Por fim, sobre as denúncias feitas em mais de 300 mensagens endereçadas ao Ministério Público e à Polícia Civil, falou que tem “convicção de que é tudo mentira”. “Eu conheço a Casa, conheço os atendimentos. A sala dele é uma sala reservada, mas com a fachada transparente, com livre acesso e visualização. Ele mal fala português, fala de maneira muito simples, não entende outras línguas… Lá tem um fluxo muito grande, sempre existem pessoas o acompanhando. [Seria] muito difícil”, concluiu.