Queda na temperatura faz viaduto de SP ceder ainda mais; Covas cria comitê de crise

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2018 13h03 - Atualizado em 17/11/2018 13h06
Marcelo Gonçalves/Estadão ConteúdoO tráfego na região pode demorar para ser normalizado

Após um breve período de estabilidade, o viaduto da alça de acesso da Marginal Pinheiros para a Ponte do Jaguaré, na zona oeste de São Paulo, voltou a ceder neste sábado (17). De acordo com o secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras Vitor Aly, a movimentação de cerca de 1 centímetro na estrutura aconteceu devido à queda na temperatura registrada durante a madrugada.

Desde a manhã, 75 profissionais trabalham no local para preparar o início do escoramento. A partir dele será possível fazer um diagnóstico do problema e identificar possíveis soluções. Algumas vias do entorno foram desviadas. A circulação de trens na Linha 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também segue interrompida.

O prefeito da capital, Bruno Covas, criou um comitê de crise com integrantes de diferentes secretarias para acompanhar as ações. O tráfego na região, porém, pode demorar para ser normalizado.

Vandalismo e prisões

Também no sábado (17), duas pessoas foram presas ao serem flagradas pichando o degrau formado pela parte do viaduto que cedeu. O ato aconteceu na madrugada, por volta das 3h, e durou cerca de 5 minutos. Eles rapidamente foram abordados por um policial e levados ao 14º DP (Pinheiros).

O caso

Parte da estrutura do acesso da Marginal Pinheiros para a Ponte do Jaguaré, na zona oeste de São Paulo, cedeu mais de um metro durante o início da madrugada da quinta-feira (15). A alça, no sentido Rodovia Presidente Castello Branco, que passa sobre a Linha 9-Esmeralda da CPTM, próximo ao Parque Villa Lobos e à Ponte do Jaguaré, na região do Alto de Pinheiros, Zona Oeste da Capital, cedeu por volta das 03h30.

Motoristas que trafegavam pela via conseguiram frear a tempo e não houve feridos, mas cerca de cinco carros ficaram danificados. Equipes do Corpo de Bombeiros, do Batalhão de Trânsito, da Polícia Militar, e agentes da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) foram acionados e seguiram para o local.

Informações do repórter Marcelo Mattos