Randolfe: decisão mostra o quanto Senado errou em não suspender mandato de Aécio

  • Por Estadão Conteúdo
  • 17/04/2018 18h25
Roque de Sá/Agência SenadoSenador disse que as provas alegadas contra Aécio são "muito fortes" e que espera que a Justiça seja célere
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou, nesta terça-feira (17), que já esperava a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) de tornar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu por corrupção passiva e obstrução de justiça. “Eu esperava que fosse isso e seria ruim se fosse diferente, seria um sinal do Judiciário pela impunidade”, avaliou.

Para ele, a decisão mostra que foi acertada a representação, no ano passado, pela suspensão do mandato do parlamentar tucano. O pedido acabou rejeitado pelo Conselho de Ética do Senado. Randolfe também considerou que o resultado demonstra o quanto o plenário do Senado errou ao ter rejeitado, em 2017, as medidas cautelares contra o tucano impostas pelo Supremo.

Randolfe disse que as provas alegadas contra o senador são “muito fortes” e que espera que a Justiça seja célere. “O julgamento justo é aquele que é feito com celeridade, seja para absolver, seja para condenar. Julgamento não célere não serve nem para quem é inocente, nem para quem de fato é culpado.”