Raquel Dodge diz que MP já prepara medidas contra culpados por desastre em Brumadinho, mas não cita nomes

  • Por Victoria Abel
  • 26/01/2019 17h56
FáBIO BARROS/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO"O Ministério Público precisa trabalhar de forma adequada, sem 'espetacularização', mas firmemente", disse

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, esteve na tarde deste sábado (26) no centro de apoio às vítimas do rompimento de uma barragem em Brumadinho, Minas Gerais. À imprensa, afirmou que “certamente há um culpado” pelo desastre e disse que o Ministério Público já está analisando quais medidas tomará em relação a ele.

“Estamos examinando como agiremos. Nesse momento é preciso definir o protocolo de risco e garantir a identificação das pessoas e o socorro às vítimas. Medidas no tocante à Vale estão sendo examinadas de forma conjunta entre Ministério Público Federal, Ministério Público de Minas Gerais, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública do Estado e Defensoria Pública da União”, disse, ressaltando que representantes dsses órgãos realizam reuniões desde a sexta-feira (25).

“Certamente há um culpado ou mais de um culpado. O Ministério Público precisa trabalhar de forma adequada, sem ‘espetacularização’, mas firmemente na busca pelos responsáveis”, completou. Questionada sobre quem seriam, afirmou apenas que “as informações são prematuras”.

Mariana x Brumadinho

Dodge ainda disse que o MP “aprendeu com os erros e acertos” de sua atuação no rompimento de uma barragem na também mineira Mariana, em 2015, e defendeu uma solução extrajudicial para os problemas.

“Aprendemos com acertos e erros. Hoje tenho enfatizado a importância de que trilhemos um caminho de solução extrajudicial, não somente judicial. A solução judicial vem, mas é mais lenta. É preciso que os governos cobrem da empresa ou das empresas sua responsabilidade. E que essas empresas se apresentem resolvendo imediatamente”, explicou. “Quero reiterar o compromisso do MP de continuar atuando firmemente para que os riscos possam ser prevenidos, para que desastres como esse não mais ocorram.”