Reforma da Previdência começa a ser votada em 2º turno em SP

  • Por Nicole Fusco
  • 03/03/2020 10h58 - Atualizado em 03/03/2020 11h35
Reprodução/ALESPDe acordo com o relator, barrar a reforma iria contra o entendimento do Supremo

Começou por volta das 9h15 desta terça-feira (3) a sessão da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para votar em segundo turno a reforma da Previdência paulista. São necessários pelo menos 57 votos favoráveis dos 94 deputados estaduais.

A reforma é votada em meio a uma disputa judicial. No primeiro turno, a proposta foi votada depois que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, derrubou a liminar concedida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Nesta segunda-feira (2), dois parlamentares recorreram à Justiça paulista, tentando impedir a votação desta terça. À noite, um dos pedidos foi negado pelo desembargador Alex Zilenovski. De acordo com o relator, barrar a reforma iria contra o entendimento do Supremo.

Enviada em novembro de 2019 pelo governador João Doria (PSDB) à Casa, o texto foi aprovado em fevereiro, antes do Carnaval, por 57 votos a favor e 32 contra. Apenas 88 deputados compareceram à sessão.

Protestos

Servidores protestam na galeria, nos corredores e em frente à Alesp. Além de reivindicarem que a proposta não seja aprovada, eles também pedem que a Polícia Militar não haja com violência. “Polícia para ladrão, para servidor, não”, gritam eles. Os agentes do Choque chegaram a entrar na Alesp.

Há relatos de que sprays de pimenta foram usados na rua em frente à Assembleia.